Nasceu em Lisboa em 1966.

Bacharel em Formação de Actores pela Escola Superior de Teatro e Cinema (1986), licenciou-se em Teatro e Educação nesta escola em 2006.

Concluiu o Seminário de Formação para Jovens Encenadores ministrado por Ana Monção, José Manuel Mendes, Luís Lima Barreto, António Emiliano, Béatrice Piccon-Vallin, Gennadi Bogdanov, Krystian Lupa e Eimuntas Nekrosius em 2003. Frequentou duas Master Class Sobre o Método do Actor’s Studio, com Marcia Haufrecht em 1987 e 2000.

Recentemente foi distinguida pela Ibsen Awards, recebendo o apoio International Ibsen Scholarship 2012, para a criação do espectáculo I.B.S.E.N., um original de Miguel Castro Caldas.

Realizou adaptações teatrais e encenações de obras de Raymond Carver, Witold Gombrowicz, Boris Vian e Peter Handke.

Dirigiu os espectáculos: A Paixão segundo Eurico, uma adaptação da obra de Alexandre Herculano – Eurico, O Presbítero, A Pedra de Marius Von Mayenburg, Exactamente Antunes com Nuno Carinhas, de Jacinto Lucas Pires, Sonho de uma Noite de Verão de W. Shakespeare, Uma Família Portuguesa de Filomena Oliveira e Miguel Real, A Orelha de Deus de Jenny Schwartz,   Botox de Miguel Castro Caldas e Pedro Eiras, Cândido de Voltaire, Libração de Lluisa Cunillé, Eu Sei Que Vou Te Amar de Arnaldo Jabor.

Como actriz destaca os espectáculos: A Gaivota, de Anton Tchéckhov, encenação Nuno Cardoso; Com o Bebé Somos Sete de Paula Vogel, encenação Marta Lapa; Omnisciência de Tim Carlson, encenação Nuno Carinhas; Timbuktu  de Paul Auster, encenação Sandra Faleiro; Hotel dos Dois Mundos de Eric-Emmanuel Schmitt, encenação Cucha Carvalheiro; A Vida Continua de Carlos J. Pessoa; Urgências de vários autores, direcção de Tiago Rodrigues; True West de Sam Shepard, encenação colectiva; Eleanor Marx de Graça Corrêa e O Construtor de H. Ibsen, encenados por Graça Corrêa; Amok de Jacinto Lucas Pires, encenação Luís Gaspar; Lágrimas Amargas de Petra Von Kant de R.W. Fassbinder, encenação Mónica Calle; Jantar entre amigos de Donald Margulies, encenação Ana Nave; Odeio Hamlet de Paul Rudnick, encenação Diogo Infante; O Hotel da Belavista de O. Horvath, encenação Helmut Reinke; Top Girls de Caryl Churchil, As Bacantes de Eurípides e A Rapariga de Varsóvia de Mário de Carvalho, encenados por Fernanda Lapa; O Marido Vai à Caça de G. Feydeau, encenação Fernando Gomes; Romeu e Julieta de W. Shakespeare, Um Sabor a Mel de Shelagh Delaney, A Rua de Jim Cartwright, e Happy End de B. Brecht, encenados por João Lourenço.

Participou em diversas séries televisivas e no cinema trabalhou com realizadores como Joaquim Leitão, Manuel Mozos, Luís Filipe Costa, Margarida Cardoso, Luís Filipe Rocha, Solveig Nordlung e Vitor Gonçalves, entre outros.

Leccionou na Universidade de Évora, na Escola Superior de Teatro e Cinema (Amadora), na Escola Superior de Arte e Design das Caldas da Rainha e co-dirigiu um Workshop de Teatro no Estabelecimento Prisional de Tires.

Em 1995 fundou com um conjunto de profissionais a Escola de Mulheres – Oficina de Teatro, um projecto que pretende privilegiar a criação feminina no teatro.

Como actriz, foi distinguida com os prémios Revelação (1989) e Interpretação Feminina-Teatro (1993) atribuídos pelo jornal Sete.

Uma Família Portuguesa foi apresentado em Turku, Capital Europeia da Cultura 2011.

Cândido e Uma Família Portuguesa foram nomeados para Globo de Ouro-Melhor Espectáculo (2008 e 2010) atribuído pela SIC/Revista Caras.

A Orelha de Deus recebeu o Prémio Autores 2010 Teatro - Melhor Espectáculo atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores.


download CV